RCCRS
Notícias do Movimento
 
 
30
Mar
Em preparação ao Congresso Estadual, carismáticos adotam Jejum de Daniel como prática espiritual
Em preparação ao Congresso Estadual, carismáticos adotam Jejum de Daniel como prática espiritual

“Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste teu espírito a compreender, e em que te humilhaste diante de teu Deus, tua oração foi ouvida, e é por isso que Eu vim”(Dn 10, 12).


Em preparação para o Congresso Estadual Jubilar, que acontecerá em 26/05/19, na cidade de Cachoeira do Sul, a Renovação Carismática Católica do Rio Grande do Sul, se une em oração por este encontro, aproximando os corações de Deus e elevando à Ele suas preces para que as promessas se cumpram neste congresso.


Juntos, durante os 21 dias que antecedem a Páscoa (início em 01/04/19), praticarão o jejum de Daniel. A prática deste jejum, descrito nas Sagradas Escrituras, surgiu com Daniel, que dedicou 21 dias ao jejum e à oração, para que o Senhor ouvisse sua súplica: “Não provei alimento delicado algum: não passou em minha boca nem carne nem vinho, não me ungi de óleo absolutamente durante o transcurso de três semanas” (Dn 10, 3).




Confira neste link os direcionamentos para cada dia: CLIQUE AQUI!




O Jejum de Daniel:


“Naqueles dias eu, Daniel, estava pranteando por três semanas inteiras. Nenhuma coisa desejável comi, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com unguento, até que se cumpriram as três semanas completas.” (Dn 10,2-3)


A passagem acima descrita, tirada do livro de Daniel, é o exemplo clássico de um “jejum parcial” realizado em meio às atividades do dia-a-dia, com o propósito de alcançar de Deus a revelação de sua vontade. Chamamos “jejum parcial” porque consiste na aplicação de uma dieta limitada, ao invés da abstinência absoluta de alimentos.


Está claro que existe um valor muito grande neste tipo de jejum. Lendo os versículos seguintes deste capítulo de Daniel, verificamos que o culminar deste jejum foi uma tremenda visitação do anjo do Senhor com uma revelação indispensável a respeito das batalhas que se travam nas regiões celestes (v.13-22). Além disso, o próprio Senhor, em sua visita a Daniel, assegura com palavras encorajadoras a eficácia de seu jejum e penitência: “Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste teu espírito a compreender, e em que te humilhaste diante de teu Deus, tua oração foi ouvida, e é por isso que eu vim”. (v.12)


Eis o tempo de conversão! Quando nós somos movidos pelas promessas de Deus e numa atitude que o agrada, começamos a transformar esta promessa em realidade no jejum e na oração; no momento mesmo em que nosso coração se humilha e busca a face do Senhor, nossas palavras são ouvidas no céu.


Daniel dedicou três semanas (21 dias) ao jejum e à oração. O tempo dedicado ao jejum é reservado para buscar o Senhor, mesmo em meio às atividades cotidianas. Em Mt 6, 1-18 vemos como Jesus indica o jejum, a oração e a esmola como sinais característicos da vida de um cristão fiel. Em alguns momentos de decisão, porém, somos convidados a intensificar nossa comunhão com o Senhor. Segundo o desejo de Jesus, devemos fazer isto sem ostentação, mas com discrição e buscando agradar somente ao Pai.


Outro fator importante em um tempo de jejum é o propósito que nos move a fazê-lo. Um jejum sem propósito definido é como vagar num túnel escuro, sem saber de onde vem ou para onde vai. Olhando as Sagradas Escrituras, encontraremos muitas razões que levaram as pessoas ao jejum. Se vamos jejuar, temos que ter objetivos firmes e claros pelos quais lutar: Estar em Deus; receber sua palavra e alguma orientação/propósito concretos; interceder por alguém ou alguma situação; enfrentar Satanás e suas tentações. Pedimos que você ore e peça que o Senhor revele sobre que intenções particulares você deve rezar. Que pessoas estão perto de você e longe de Deus? Que situações precisam ser saradas pelo Senhor em sua vida, etc.? Anote num papel essas intenções particulares e deixe-as à mão, para que você recorde durante a oração pessoal. Vamos fazer esse jejum nas intenções da Renovação Carismática Católica do estado do Rio Grande do Sul e como preparação espiritual para o congresso estadual, que acontecerá dia 26 de maio em Cachoeira do Sul.




Como se faz esse jejum?


Por três semanas (21 dias), somos convocados a um jejum parcial. Será um tempo de maior oração e dedicação ao Senhor. Durante este tempo, evitaremos alimentos pelos quais buscamos saciar mais nosso gosto/prazer do que as necessidades reais do nosso organismo (doces, refrigerantes, excesso de frituras ou outros alimentos que constituem hábitos alimentares aos quais estamos apegados).


Além disso, evitando extravagâncias, vamos escolher entre duas opções: ou iniciar a alimentação diária só a partir das 12 horas, ou simplesmente cortar uma das refeições do dia. Cuidado somente para não “descontar” na próxima refeição para compensar o que foi omitido. Pessoas que fazem uso de medicação devem estabelecer o jejum em conformidade com o horário dos remédios. Pessoas com problemas de pressão ou diabetes, ou outro tipo de limitação de saúde, devem conhecer as necessidades do seu organismo e adaptar o jejum. Pessoas que não podem fazer nenhum tipo de restrição na alimentação podem fazer jejum de televisão, conversa ou outras coisas. Mas lembre-se: inicialmente o jejum consta de algum sacrifício na alimentação.


No 1º dia do jejum faça uma consagração, com um bom momento de Adoração, Louvor e, se possível, participação de missa. Escreva num papel as intenções pelas quais você vai oferecer o jejum (peça ao Espírito Santo que lhe revele o que será a motivação do seu tempo de penitência e escuta).




No dia 21, ou seja, no final da terceira semana de jejum, será o domingo de Páscoa, domingo da Ressureição do Senhor (portanto, não haverá jejum neste dia). Celebremos junto a vitória de Cristo sobre o pecado, o mal e a morte.


 


Fonte: Geórgia Piva

Compartilhe está Notícia
Indique a um amigo
 
 

Copyright © 2014 Renovação Carismática Católica - Rio Grande do Sul.
Todos os direitos reservados.